Aves isolado no comando e Póvoa entra em falso em casa
Após a segunda jornada apenas uma equipa não perdeu pontos que foi o CD Aves e por isso lidera isolado e uma equipa ainda não pontuou que foi a Casa do SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar que por isso mesmo ocupa a última posição da Série.
Começamos com o CD Aves que recebeu e venceu o Clube Académico de Mogadouro de Artur Pereira chegou a Vila das Aves como líder devido à goleada imposta ao Macedense, mas a equipa de Hugo iniciou bem a partida passando para a frente do marcador com um golo de Vitó que rematou rasteiro junto ao poste de uma distância perto dos doze metros da baliza.

O segundo golo aparece de um lance de bola parada, através de um canto com Ismael no coração da área e sem grande oposição a fazer o segundo dos avenses. O Mogadouro reduz ainda na primeira parte e as equipas foram para o intervalo com este resultado.
Na segunda parte o CD Aves confirmou a vitória com o 3-1 por intermédio de Vitó que bisava na partida num lance do mais “simples” que há no futsal, Vitó está em cima da linha de área do Mogadouro e desvia de cabeça uma bola que foi colocada pelo seu guarda-redes Cláudio que atravessou todo o campo.
O resultado final apareceu quando o Mogadouro jogava com o guarda-redes avançado quando Cláudio intercepta a bola na sua área e remata para a baliza deserta com a mesma a ser intercetada no meio campo adversário mas sobrou para Zé Rui que de primeira remata para a baliza com a bola ainda a embrulhar-se nas pernas do guarda-redes adversário mas que acabaria por entrar.
Para Hugo Oliveira tinha a consciência que, “íamos defrontar uma equipa constituída por alguns jogadores bastante experientes na modalidade e que vinha bastante moralizada depois da vitória expressiva por 11-4 alcançada sobre o GD Macedense”, e ainda sobre o Mogadouro o técnico disse, “sabíamos que não iriam assumir o jogo pelo jogo e que viriam atrás do nosso erro, o que se veio a confirmar”.
Hugo Oliveira afirma que a primeira parte foi, “dominada na íntegra pela nossa equipa e desperdiçamos inúmeras ocasiões para dilatar o marcador, pois o Mogadouro apenas procurava criar perigo através de rápidas transições ofensivas o que se concretizou num escasso 2-1 para a dez segundos do final da primeira parte”.
Se a primeira parte o técnico diz que foi totalmente dominada pelo CD Aves, a segunda admite que foi mais equilibrada, por a sua equipa ter entrado para a segunda parte, “algo desconcentrada e pouco pressionante, fazendo acreditar o nosso adversário em poder alterar o rumo dos acontecimentos, no entanto num lance de futsal direto conseguimos ampliar a vantagem e restabelecer de novo os índices de confiança e concentração”. Este lance deu confiança à sua e “acabamos por marcar o quarto golo numa altura que que o Mogadouro jogava com o guarda-redes avançado”. Após as declarações sobre o jogo perguntamos a Hugo Oliveira se contava ser líder isolado à segunda jornada, e o mesmo demonstrou alguma surpresa pela condição que ocupa, até porque considera, “que existem na nossa série equipas com os mesmos argumentos ou superiores aos nossos, como por exemplo o Gualtar, o Póvoa, S. Mateus e diria mesmo o Valpaços”, contudo reconhece que esta condição faz parte dos objectivos do clube que é, “andar sempre nos lugares cimeiros”.
Em antevisão ao jogo da terceira jornada diante o Valpaços, perspectiva um jogo, “muito difícil, uma vez que vamos jogar contra uma equipa que poucas alterações fez no seu plantel e onde existe um grande leque de jogadores experientes no campeonato da 2.ª Divisão, alguns deles dotados tecnicamente e que já jogam juntos há muito tempo, o que sem dúvida poderá ser uma mais-valia a ser explorada pelo nosso adversário”. Em relação à sua equipa diz que se vai manter, “fiel à sua filosofia de jogo e vai procurar explorar os pontos menos fortes do adversário, para que consiga somar mais uma vitória e desta forma continuar a lutar pelos seus objectivos”.
O Aves na próxima jornada volta a jogar diante o seu público recebendo o Valpaços que vem de uma derrota caseira diante o Piratas de Creixomil por 4-3, nesta altura o Valpaços ocupa a sexta posição com três pontos fruto da vitória fora de portas em casa da Casa do SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar.

O Póvoa Futsal na sua estreia em casa foi surpreendido pelo ex-primodivisonário ADC Gualtar de José Vasconcelos, num jogo que os locais consideram ter sido equilibrado e a diferença foi na eficácia.
No jogo de estreia em casa, Joaquim Augusto apresentou este cinco inicial, Cristiano na baliza, Mide, Kaká, Paulo Rocha e Pirata, e o jogo iniciou com sinal mais dos visitantes e com seis minutos jogados o ADC Gualtar chega à vantagem de bola parada na transformação de um livre marcado por Lincon, a partir do golo os visitados reagiram e chegam ao empate aos dez minutos por Hugo após assistência de Dani. O empate não iria se manter muito tempo, pois três minutos depois os bracarenses voltam a colocar-se em vantagem e a dois minutos do intervalo Zé Monteiro elevou o marcador e com isso levou o Gualtar para o intervalo a vencer por 1-3.
Na segunda parte o 1-3 subsistiu até ao oitavo minuto com Dani a dar esperanças ao Póvoa na recuperação ar reduzir para 2-3, só que Fred logo a seguir colocou novamente o Gualtar com uma vantagem de dois golos. À entrada dos últimos cinco minutos, o Póvoa Futsal coloca o guarda-redes avançado, no entanto não consegue tirar benefícios e é o ADC Gualtar que acaba com a incerteza do resultado a trinta segundos do fim da partida com Fred a marcar o quinto golo do ADC Gualtar.
Para Miguel Marinho, treinador-adjunto do Póvoa Futsal Clube, considera, que o ADC Gualtar “entrou melhor na partida, mas com o passar do tempo conseguimos equilibrar, quando chegamos aos 2-3, o Gualtar foi competente e mesmo com a iniciativa do jogo do nosso lado eles conseguem ampliar a vantagem, ainda arriscamos o cinco para quatro, mas não conseguimos concretizar nenhuma das oportunidades que criamos e mesmo a acabar o jogo sentenciaram a partida contra a corrente do jogo”, apesar da derrota Miguel Marinho considera que o campeonato é, “uma prova de regularidade e no final é que são feitas as contas”, e sobre o próximo desafio onde vão visitar a Casa do SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar, Miguel Marinho, reconhece que, “não temos reconhecimento total da equipa de Vila Pouca de Aguiar, porque o campeonato está no início, mas queremos retificar este resultado e regressar o mais depressa possível às vitórias e continuar o nosso trajeto”, e não esconde a ambição de pontuar perante, “vamos jogar contra uma equipa que deve querer começar pontuar diante a sua massa associativa, mas iremos lá para contrariar as suas expetativas e trazer para a Póvoa de Varzim os três pontos.
O próximo adversário dos poveiros é a Casa do SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar, voltando a jogar como visitante, os aguiarenses ainda não somaram qualquer ponto e é a equipa a par do Macedense com mais golos sofridos, no entanto está no grupo de quatro equipas com o terceiro melhor ataque, com sete golos obtidos, nesta jornada visitou o ADC S. Mateus e foi goleado por 10-4.

O jogo entre o GD Macedense e ADC Nogueiró e Tenões terminou empatado a três, mas um empate com o sabor amargo para os visitantes, num jogo que apresentava o nulo ao intervalo o Nogueiró e Tenões a dez minutos do final da partida vencia por 0-2, a equipa da casa reduziu com quinze minutos jogados e os visitantes voltariam a dois minutos para terminar a partida a uma vantagem de dois golos, mas último minuto a equipa da casa reduzia para 2-3 e nos instantes finais da partida chegaria mesmo ao empate.
Assim o CD Aves segue na liderança isolada com seis pontos, a dois pontos estão ADC S. Mateus e ADC Gualtar/Meltino e a três pontos está um grupo de quatro equipas entre as quais o Póvoa Futsal na quinta posição, as três últimas posições são ocupadas por ADC Nogueiró e Tenões e GD Macedense com um ponto cada e na última posição sem qualquer ponto temos a Casa do SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar.
CA Mogadouro é a equipa mais concretizadora com doze golos seguindo-se ADC S. Mateus com dez e CD Aves com nove, as defesas mais batidas são da Casa SL Benfica de Vila Pouca de Aguiar e GD Macedense com catorze golos sofridos.

Foto: Facebook CD AVes

 

Futsal Porto Distrital

Copyright © 2016. All Rights Reserved.